GUIA PARA LÂMPADAS DE LED

Lâmpadas de LED representam uma grande vantagem, tanto do ponto de vista ecológico, quanto econômico. Apesar do investimento ser mais alto, elas valem o investimento extra já que iluminam melhor, não esquentam, não possuem mercúrio e ainda oferecem várias opções para personalizar a iluminação para cada tipo de ambiente.

 

 

 

Para facilitar a presença das lâmpadas nos lares brasileiros, o INMETRO lançou uma cartilha explicando em detalhes como essa tecnologia pode ser aplicada, seus benefícios, as opções com mais durabilidade e o consumo de energia.

 

 

 

Aqui, estão os principais pontos da cartilha:

 

 

 

TONALIDADES E ADEQUAÇÃO

 

 

 

As lâmpadas de LED vem em várias tonalidades que podem ser escolhidas de acordo com a necessidade do ambiente. As que possuem tonalidades alaranjadas, são as que passam a sensação de calor e mais se aproximam das lâmpadas incandescentes e são apropriadas para ambientes de descanso, como os quartos e as salas de TV.

 

 

 

As brancas ou neutras, mais próximas da iluminação fluorescente, são comumente aplicadas em ambientes de trabalho que precisam de iluminação forte e que se assemelhe a luz natural. Já as de tom branco azulado, classificadas como frias, são utilizadas em cozinhas, áreas de serviço, entre outros lugares que precisem de iluminação difusa e plena.

 

 

 

VOLTAGEM E POTÊNCIA

 

 

 

O mercado possui várias opções de lâmpadas LED, por isso é importante verificar quais voltagens são compatíveis com a rede elétrica da sua casa. Uma lâmpada incandescente de 60w corresponde a uma fluorescente de 15w, que equivale a uma lâmpada de LED de 9w.

 

 

 

Todas possuem iluminação semelhantes, ou seja, é aí que o LED representa a maior vantagem, já que tem a mesma eficiência luminosa e gastam menos energia.

 

 

 

IDENTIFICAÇÃO

 

 

 

 Todas as embalagens de lâmpadas de LED terão a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia. Através dela será possível diferenciar facilmente a eficiência energética e as especificações de todas as opções presentes no mercado.

 

 

 

Isso significa que quem não entende as especificações das lâmpadas, poderá escolher a melhor opção com base nos números indicados na etiqueta, assim como já se é feito com eletrodomésticos.

 

 

 

DICAS E CUIDADOS

 

 

 

As lâmpadas de LED não resistem muito bem a ação da maresia e umidade, já que elas corroem os componentes metálicos e por isso precisam ser protegidas nesses casos. Elas também não devem ser usadas em luminárias fechadas sem circulação de ar, pois o calor não se dissipa e isso diminui a vida útil da lâmpada.

 

 

 

Já nas iluminações por spot, as lâmpadas devem ficar livres de obstáculos próximos, já que eles não deixam a luz se espalhar, vale também conferir a potência dessas lâmpadas com cuidado, pois dependendo do tamanho do ambiente elas podem acabar “sumindo” ao invés de apresentar a iluminação dramática desejada.

 

 

 

A melhor dica é substituir as lâmpadas de casa aos poucos, primeiro substituindo as mais utilizadas, assim citando um rombo no bolso.

 

 

 

Confira a cartilha completa do INMETRO para mais informações e dicas. 

 

Fonte: https://www.hometeka.com.br/f5/inmetro-lanca-cartilha-sobre-o-uso-das-lampadas-led-em-casa/

 

PISO LAMINADO DE MADEIRA GANHA MAIS ESPAÇO EM NOVOS PROJETOS COMO O RIVERSIDE RESIDENCE

Mais baratos que os assoalhos de madeira natural, o novo modelo em PVC pode ser usado até em cozinhas e banheiros, e não retêm sujeira e micro-organismos como o carpete. E graças a esses dois trunfos, os pisos laminados de madeira vêm conquistando cada vez mais espaço.

Produzidos a partir de uma série de lâminas de celulose, esses assoalhos recebem, ainda na fábrica, uma resina que eleva sua resistência a riscos e manchas. O produto pode ser instalado sobre contrapisos de cerâmica, lajotas e concreto. “No momento da colocação é fundamental que o contrapiso esteja nivelado e isento de umidade”, explica a arquiteta Estér Kloss.

Para quem procura uma solução inteligente ou deseja decorar o apartamento, esse material é super indicado. Além de combinar totalmente com a proposta de edifícios como o Sena e Tâmisa, localizados no RiverSide Residence, num projeto inovador que alia desenvolvimento e traça novos horizontes, sem esquecer da sustentabilidade. Ao dividir o espaço com a natureza, você ganha qualidade de vida e investe na sua família.

E o melhor, as placas laminadas podem ser utilizadas além do chão. Elas podem estar presentes em outros locais, como paredes, cabeceiras de camas, painéis para tevê, por meio de um sistema de presilhas e cantoneiras, permitindo assim a fixação, na vertical, acompanhando o acabamento do piso.

Antes de optar por um piso laminado de madeira, é recomendada uma análise do espaço para detectar a presença de cupins. Caso seja encontrado algum foco, é necessário realizar antes uma descupinização.

PVC

A última novidade em pisos laminados são os produtos em PVC (plástico de vinil), que reproduzem fielmente a madeira, inclusive as nervuras, e também podem ser colocados em áreas úmidas. “Por ser à prova d’água, o PVC pode ser usado em cozinhas e banheiros, locais que normalmente não devem receber os laminados convencionais em madeira”, explica a arquiteta Marina Canhadas.

De fácil limpeza e manutenção, feita apenas com água e detergente, os assoalhos em plástico de vinil contam com uma instalação mais rápida que um laminado de madeira, por meio do sistema click, que permite a colocação do produto por encaixe, deixando-o assim imediatamente pronto para o uso, sem a necessidade de espera do tempo de secagem de adesivo.

Fonte: Gazeta do Povo